Artes plásticas

Pintura – Arlequim

Título da obra: Honra, Soldado e Arlequim, 2007 e Arlequins, 2007
Técnica empregada: Interferência sobre cartaz com tinta gráfica, óleo, caneta hidrográfica e solvente vinílico, 2007
Dimensões: 60cm x 85cm (cada)
Valor: R$ 700,00 (cada)




(…) Sem fama e sem vintém,
Amando os vinhos e os baralhos,
Eu, nesta veste de retalhos
Sou tudo quanto te convém.
(Manuel Bandeira. O Descante de Arlequim)

Seu espírito está presente em nós – naquela parte que é brincalhona e irreverente, que vive o dia de hoje, que é criativa e contestadora e sobrevive conforme é possível; como aquela parte mais agressiva que pode agir brutalmente.
Arlequim/soldado é irreverente e irônico em um contexto de guerra urbana que vivemos ou de guerras pelo mundo… Onde está a honra de um soldado vestido de arlequim? A honra justifica as ações? Há honra numa guerra? Sou um soldado que é arlequim ou um arlequim que é soldado? Talvez sobre essas ações humanas Manuel Bandeira possa responder: “Sou tudo quanto te convém”

Esta duas obras fazem parte da série “Interferências gráficas em cartazes”, onde as pinturas seguem a idéia de transformação/reciclagem, pois são executas em cima de um material publicitário já fora de circulação (que iria para o lixo) e, após a interferência, ganham um novo propósito, uma nova vida. Pintura em materiais considerados concluídos – como um cartaz de cinema – transformando o conteúdo ali presente (nova arte) e reciclando o que seria desprezado após sua finalidade, no caso, a divulgação de um filme.